A força silenciadora da branquitude

Desde 2009, tenho me dedicado a compreender o que é e como acontece o midiativismo em favelas. A partir de agora, no pós-doutorado (2017-2019), pretendo me dedicar também à questão do midiativismo entre pessoas que lutam contra o racismo no Brasil e na Finlândia. Este texto foi uma reflexão originalmente publicada no site da rede anti-racista Raster (Finlândia) sobre minha experiência angustiante como único negro num evento anti-racista na Suécia. Depois que escrevi o texto, descobri a fala da admirável filósofa Djamila Ribeiro (Tedx São Paulo) sobre a necessidade de romper com silêncios em lutas anti-racistas. Meu texto, então, é um complemento à esse debate.

Continue reading “A força silenciadora da branquitude”

Talk and Collectivity in Favelas to Change Academic Research

Last saturday, I participated in a meeting entitled “To whom and what for are academic research conducted in favelas?” (page in Portuguese) The event happened at a public school in Manguinhos, a favela located at the low-income North Zone of Rio de Janeiro.

After having inspiring talks, I returned home with a sense of relief, satisfaction and renewed strength to keep struggling for the construction of a more inclusive academic environment and for a more diverse and more participatory social science research.

manguinhos-1

Continue reading “Talk and Collectivity in Favelas to Change Academic Research”

Conversa e coletividade na favela para transformar pesquisas acadêmicas

No último sábado, participei do encontro “Para quem e para que servem as pesquisas acadêmicas realizadas nas favelas?“, no Colégio Estadual Clóvis Monteiro, na favela de Manguinhos, Zona Norte do Rio.

De lá, voltei para Magé aliviado, satisfeito e revigorado pra continuar na luta pela construção de ambiente acadêmico mais inclusivo e por uma pesquisa em ciências sociais com mais diversidade e maiores níveis de participação popular.

manguinhos-1

Continue reading “Conversa e coletividade na favela para transformar pesquisas acadêmicas”

Favela Media Activism and Its Legacy for Civic Engagement in the Olympic City of Rio de Janeiro

Favela residents, especially youth, have used online and offline media against human rights violations for a while now in Rio. Media technologies and journalism techniques have been increasingly important components of the struggles of low-income, peripheral populations.

In this article, Dr. Leonardo Custódio shares results of his doctoral research on the growth in political organizing thanks to favela media activists since Rio was announced host to the 2016 Olympic Games.

Text originally posted on Rio on Watch. See here.

Continue reading “Favela Media Activism and Its Legacy for Civic Engagement in the Olympic City of Rio de Janeiro”